Troca de carro: Afinal, você sabe o momento certo para fazer a troca do seu veículo?

Nesse post você vai ver o que levar em consideração antes de tomar a decisão de fazer a troca de carro.

De um modo geral, 05 anos é considerado um bom tempo para se manter um carro, considerando veículos novos, mas cada fabricante estabelece uma expectativa de vida para os seus modelos.

Contudo, as peças mecânicas que estão sujeitas a esforços dinâmicos, ou seja, que envolvem movimento, possuem uma vida útil com base em número de ciclos e quando esses chegam ao fim, as peças sofrem desgastes, podendo apresentar fissuras que se propagam até torná-las completamente inutilizáveis.

Mas claro que as peças podem ser substituídas, porém um carro contém em torno de 4 a 5 mil componentes, e após o período de 5 anos, todos eles podem apresentar problemas. Portanto, não é por acaso que a garantia dos carros seja no máximo de 6 anos dependendo do modelo.

Qual o momento ideal para a troca de carro e quais cuidados eu devo tomar?

hora certa de trocar de carro
Segundo especialistas do setor automotivo, pensar no momento da substituição do veículo é tão importante quanto a compra. Porém no caso da troca, alguns sinais indicam que é o momento certo para fazê-lo.

Mas afinal, quais são os sinais que indicam que já é a hora de trocar de carro? Listamos abaixo os 5 principais motivos. Veja a seguir.

1- Verifique a desvalorização do carro

Com o passar do tempo, o valor do carro vai diminuindo, então, um dos mais importantes sinais a se observar é a sua desvalorização, que já se inicia no momento em que o carro sai da concessionária, desvalorizando cerca de 10% no primeiro ano e 15% no segundo.

Portanto, do ponto de vista financeiro, não seria ideal fazer a troca nos dois primeiros anos e sim após o terceiro ano de uso, ou quando o carro estiver na faixa dos 50 ou 60 mil quilômetros rodados.

Mas nem todos podem ou até mesmo devem trocar o carro quando esse atingir essa rodagem e se o carro estiver em bom estado, vale muito mais a pena levá-lo numa oficina de sua confiança e deixar o seu usado como novo.

2- Fique de olho na quilometragem alta

A quilometragem aponta o quanto o seu carro já foi usado e uma rodagem muito alta começa a exigir cada vez mais manutenções e por melhores que sejam essas revisões, alguns desgastes sofridos pelo veículo são irreversíveis.

Geralmente os impactos são sentidos entre os 60 e 100 mil quilômetros rodados, sendo necessário avaliar sobre a troca nessa fase, para que se consiga fazer uma boa negociação.

3- Manutenção e muitas idas à oficina

Depois de algum tempo de uso e com alguns quilômetros a mais, o seu carro vai necessitar de mais manutenção e as visitas a oficina se tornarão cada vez mais frequentes. O bom mesmo, seria fazer a troca de carro antes mesmo que comece a gastar cada vez mais em um produto que vale cada vez menos.

Então, mesmo que você não consiga fazer a substituição do veículo verifique se os “problemas” não são apenas falta de revisão e cuidados, e lembre-se de investir em bons produtos. Certamente, carros com boas peças duram ainda mais.

4- Mercado

O próprio Setor Automotivo irá sinalizar uma boa hora de fazer a troca do carro, basta ficar atento às notícias sobre mudanças significativas das marcas e verificar sobre o seu modelo. Os modelos que saem de linha logo perdem valor no mercado de usados.

Preste atenção também nas notícias sobre as promoções, anúncios de taxas reduzidas, feirões, valorização de carros usados e outros indícios que sinalizam o momento certo para a troca de carro.

Obviamente que a situação financeira deve estar alinhada, pois não adianta gastar o que não se tem e acabar se afogando em dívidas, o ideal é fazer um bom planejamento e aproveitar as oportunidades quando elas surgirem.

5- Seguro e IPVA

Por fim, custos como Seguro e IPVA também devem ser levados em consideração. O imposto fica cada vez mais barato, o que nos traz uma vantagem, mas o seguro encarece mais a cada ano. Portanto, é preciso fazer as contas aqui também.

Caso opte por fazer a troca de carro por um modelo mais novo, pagará mais caro no IPVA, então, vale a pena ver se houve uma redução no custo do valor cobrado pela seguradora. Certamente, existem muitos outros fatores que envolvem a troca de um carro.

Por exemplo: mudanças no padrão de vida, a família que aumentou, questões de trabalho ou simplesmente o desejo de ter um carro novo, não importa os motivos, mas lembre-se, o ideal é levar o carro em uma oficina de confiança para dar aquela conferida no seu amigo, dependendo do caso, uma simples revisão fará a toda diferença.

Esperamos que tenha gostado do post e caso a decisão final seja a troca de carro, busque por lojas que aceite o seu automóvel como entrada ou forma de pagamento.

Aqui no catarinacarros você pode encontrar lojas que atendam esse perfil. Boa sorte e vou me despedindo por aqui, até o próximo post meus queridos amigos.

Gostou deste artigo? Então, não deixe de nos seguir no Facebook e Instagram para receber mais notícias como esta.

Leia também:

Classificado de veículos catarinacarros.com.br

foto
Como manter o sistema de ar condicionado limpo para o verão
Anterior
foto
Qual a melhor caminhonete usada para comprar? Saiba como escolher
Próximo