5 ERROS QUE ENCURTAM O PRAZO DAS REVISÕES E TE LEVAM MAIS VEZES À OFICINA

Todo carro necessita fazer revisões periódicas em determinados intervalos de tempo para manter o veículo em bom estado. Mas alguns erros fazem com que essas revisões precisem ser feitas com maior frequência, ou pior, você acaba levando no mecânico primeiro.

Claro que algumas vezes não são nossos hábitos os culpados por essas revisões precoces ou idas ao mecânico, por exemplo: andar em vias não pavimentadas e com muita poeira podem encurtar o prazo da revisão do veículo. Outro problema é andar em baixa velocidade, parando, acelerando, em filas, isso hoje em dia é algo praticamente inevitável.

Mas alguns hábitos pessoais podem ser prejudiciais ao nosso veículo e consequentemente trazer problemas a ele. Vamos conferir esses 5 erros e evitá-los?

 

1 – Ignorar buracos e lombadas

O hábito mais comum e que acaba pesando no bolso. Passar em alta velocidade em buracos e lombadas podem prejudicar itens como batentes, coxins, molas e amortecedores.

2- Sobrecarregar sistema elétrico

Cuidado com a instalação de acessórios eletrônicos não homologados pela fabricante do veículo!

Equipamentos de som, alarmes e outros dispositivos podem demandar mais energia do que prevê o projeto do veículo. Alguns desses acessórios continuam ativos mesmo quando o automóvel está desligado, agravando o problema.

As consequências além de claro, diminuir a vida útil da bateria do carro, podem ser a sobrecarga do alternador e uma maior variação de tensão no sistema. Isso eleva a incidência de pane elétrica.

Peças como lâmpadas, ventoinha, motor de arranque e o próprio alternador também podem ter a durabilidade seriamente comprometida.

 

3 – Usar combustível de procedência duvidosa

Ao pensar em economizar abastecendo em um posto de combustível mais barato, você pode pagar mais caro depois. Preço baixo não é sinônimo de adulteração, mas vale a pena desconfiar quando os valores praticados estão muito abaixo da média do mercado. Dê preferência a postos de procedência.

Uma gasolina “batizada” possui solvente e etanol adulterado com adição de água. O solvente danifica componentes como dutos, vedações e peças emborrachadas, além causar a formação de depósitos no interior do propulsor. Etanol com mais água do que determina a especificação acelera a corrosão de itens e traz funcionamento irregular.

Além disso, o resultado imediato é a perda de performance e alta no consumo de combustível.

4 – Rodar sempre com o motor frio

Para as condições ideais de funcionamento, o motor precisa esquentar para o calor expandir os componentes internos.

O grande problema está em usar o carro continuamente em deslocamentos muito curtos, insuficientes para se atingir a temperatura correta. Usar o carro assim acelera o desgaste e eleva o consumo de combustível.

O ideal é rodar pelo menos 15 minutos até seu destino.

5- Deixar o carro muito tempo parado

Carros foram feitos para utilizar, ao ficar muito tempo parado alguns componentes começam a se deteriorar.

Dependendo do tempo de inatividade, os efeitos mais óbvios são a descarga da bateria e o esvaziamento e a deformação dos pneus. Mas outros problemas também podem surgir.

Água e outros fluidos parados durante muito tempo no mesmo lugar aceleram processos corrosivos e contribuem para o ressecamento de borrachas, mangueiras e dutos em geral. Fique atento também ao combustível, a gasolina, por exemplo, fica inutilizável após 6 meses.

Se for deixar seu carro parado por muito tempo, rode com ele por pelo menos 15 minutos, uma vez por semana.

 

Curtiu o conteúdo? Compartilhe com quem precisa saber!

 

Fonte: .uol.com.br/carros

Mariana

Autor
foto
IPVA: Quando os veículos são isentos e deixam de pagar o IPVA
Anterior

Deixe um comentário